sexta-feira, janeiro 30, 2004

::: Da morte não sei o dia :::
Pedro Bandeira

Há o instante da chegada
E o momento de partida.
Quanta vida já vivi?
Quanta resta a ser vivida?

São dois espelhos quebrados,
Dois vezes sete de má sorte.
Já vivi quatorze anos,
quanto resta para a morte?

É fácil vê-la chegando
em cada instante que passe,
pois se começa a morrer
no momento em que se nasce.

Vou caminhando para a morte,
não decidi meu nascer.
Da morte não sei o dia,
Mas posso saber!
::: A Marca de uma Lágrima :::
Pedro Bandeira

A marca desta lágrima testemunha
que eu o amei perdidamente.
Em suas mãos depositei a minha vida
e me entreguei completamente.
Assinei com minhas lágrimas
cada verso que lhe dei,
como se fossem confetes
de um carnaval que não brinquei.
Mas a cabeça apaixonada delirou
foi farsante, vigarista, mascarada,
foi amante, entregando-lhe outra amada,
foi covarde que amando nunca amou!

quarta-feira, janeiro 28, 2004

::: Disease :::
Matchbox 20

Feels like you made a mistake
You made somebody's heart break
But now I have to let you go
I have to let you go

You left a stain
On every one of my good days
But I am stronger than you know
I have to let you go

No one's ever turned you over
No one's tried
To ever let you down,
Beautiful girl
Bless your heart

I got a disease
Deep inside me
Makes me feel uneasy baby
I can't live without you
Tell me what I am supposed to do about it
Keep your distance from it
Don't pay no attention to me
I got a disease

Feels like you're making a mess
You're hell on wheels in a black dress
You drove me to the fire
And left me there to burn

Every little thing you do is tragic
All my life, oh was magic
Beautiful girl
I can't breathe

I got a disease
Deep inside me
Makes me feel uneasy baby
I can't live without you
Tell me what I am supposed to do about it
Keep your distance from it
Don't pay no attention to me
I got a disease
I think that I'm sick
But leave me be while my world is coming down on me
You taste like honey, honey
Tell me can I be your honey
Be, be strong
Keep telling myself it that won't take long till
I'm free of my disease

Yeah well free of my disease
Free of my disease

I got a disease
Deep inside me
Makes me feel uneasy baby
I can't live without you
Tell me what I am supposed to do about it
Keep your distance from it
Don't pay no attention to me
I got a disease

I think that I'm sick
But leave me be while my world is coming down on me
You taste like honey, honey
Tell me can I be your honey
Be, be strong
Keep telling myself it that won't take long till
I'm free of my disease
Yeah well free of my disease
Free of my disease

sexta-feira, janeiro 23, 2004

"An angel's smile is what you sell
You promise me heaven, then put me through hell
Chains of love got a hold on me
When passion's a prison, you can't break free "

Bon Jovi - You Give Love a Bad Name
::: Shot Through the Heart :::
Bon Jovi

Would you be content to see me crying
After all those little games you put me through
After all you've done for you you're lying
Wouldn't it be nice to tell the truth

Didn't somebody somewhere say
You're heading for a fall
I gave you everything
Now here's the curtain call


Shot through the heart as I lay there alone
In the dark through the heart
It's all part of this game that we call love

Now you've come back here to say you're sorry
But I don't know who you're talking to
It could be the man I used to be, girl
But I've grown up and now I'm over you

Standing there just a livewire
With nowhere left to turn
You were gonna set the world on fire
When will you ever learn?

Didn't somebody somewhere say
You're heading for a fall
I gave you everything
Now here's the curtain call
And I'm shot...

Baby does what baby please
And baby must have what she sees
But not this time, the tables turned
Baby, you just got burned
"The hotel bar hangover whiskey's gone dry
The barkeeper's wig's crooked
And she's giving me the eye
I might have said yeah
But I laughed so hard I think I died "

Bed of Roses - Bon Jovi

quarta-feira, janeiro 21, 2004

::: Ratos não suportam altura :::

Um piloto fazia arrojadamente uma aventura ao redor do mundo com um fragil monomotor, de repente ouviu um estranho ruído que vinha atrás do seu assento.
Percebeu que havia um rato a roer a cobertura da lona e destruiria o frágil avião, seu primeiro impulso foi voltar ao aeroporto.
Mas, pensando bem, decidiu voar cada vez mais alto, à medida que o avião ganhava altura, os ruídos foram diminuindo, até desaparecer.

Muitas vezes quando você decolar em direção ao seus sonhos, ouvirá muitos ruídos denunciando a presença de muitos ratinhos a bordo, talvez sua reação seja de voltar para mata-lo com as próprias mãos.
Resista a tentação de abandonar os seus sonhos e voe mais alto, à medida que você continuar subindo, os ratinhos vão ficar admirados com sua coragem e darão um jeito de descer antes que a altura seja grande demais.
Se alguém te ameaçar com inveja, calúnia, maledicência, voe mais alto.
Se o criticarem destrutivamente, voe mais alto ainda.
Com certeza você verá que todos foram embora.
É que os ratos não suportam altura...

segunda-feira, janeiro 19, 2004

::: Don't Stay :::
Linkin Park

Sometimes I
Need to remember just to breathe
Sometimes I
Need you to stay away from me
Sometimes I'm
In disbelief I didn't know
Somehow I
Need you to go

Sometimes I
Feel like I trusted you too well
Sometimes I
Just feel like screaming at myself
Somestimes I'm
In Disbelief I didn't know
Somehow I
Need to be alone

Don't stay
Forget our memories
Forget our possibilities
What you were changing me into
[Just give me myself back and]
Don't stay
Forget our memories
Forget our possibilities
Take all your faithlessness with you
[Just give me myself back and]
Don't Stay

I don't need you anymore
I don't want to be ignored
I don't need one more day
Of you wasting me away

With no apologies

domingo, janeiro 18, 2004

::: Amor E Sexo :::
Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois


Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

sexta-feira, janeiro 16, 2004

::: Amigos :::

Um rouxinol vivia no jardim de uma casa.
Todas as manhãs, uma janela se abria e um jovem comia seu pão, enquanto olhava a beleza do jardim.
Sempre caiam farelos de pão no parapeito da janela.
O rouxinol comia os farelos, acreditando que o jovem os deixava de propósito para ele.
Assim, criou um grande afeto por aquele que se preocupava em alimentá-lo, ainda que com migalhas.

Um dia, o jovem se apaixonou.
Mas, ao se declarar, sua amada impôs uma condição para retribuir seu amor:
que na manhã seguinte ele lhe trouxesse a mais linda rosa vermelha.
O jovem percorreu todas as floriculturas da cidade, mas sua busca foi em vão. Nenhuma rosa... Muito menos vermelha.

Triste, desolado, ele foi pedir ajuda ao jardineiro de sua casa. O jardineiro declarou que ele poderia presenteá-la com petúnias,violetas,cravos... Qualquer flor, menos rosas. Elas estavam fora de época;era impossível conseguí-las naquela estação.

O rouxinol, que escutara a conversa, ficou penalizado com a desolação do jovem... Teria que fazer algo para ajudar seu amigo a conseguir a flor. A ave então procurou o Deus dos Pássaros, que falou:
- Você pode conseguir uma rosa vermelha para o seu amigo... mas o sacrifício é grande e poderá custar-lhe a vida!
- Não importa, respondeu a ave. O que devo fazer?
- Bem, você terá que se emaranhar em uma roseira, e ali cantar a noite toda, sem parar. O esforço é muito grande; seu peito pode não agüentar...
- Assim farei, respondeu a ave. É para a felicidade de um amigo!

Quando escureceu, o rouxinol emaranhou-se em meio a uma roseira que ficava em frente a janela do jovem. Ali, pôs-se a cantar seu canto mais alegre,pois precisava caprichar na formação da flor. Um grande espinho começou a entrar no peito do rouxinol, e quanto mais ele cantava, mais o espinho entrava em seu peito.
Mas o rouxinol não parou. Continuou seu canto, pela felicidade de um amigo. Um canto que simbolizava gratidão, amizade. Um canto de doação, até mesmo da própria vida!

Pela manhã, ao abrir a janela, o jovem se deteve diante da mais linda rosa vermelha, formada pelo sangue do rouxinol. Nem questionou o milagre, apenas colheu a rosa. Ao olhar o corpo inerte da pobre ave, o jovem disse:
- Que ave estúpida! Tendo tantas árvores para cantar, foi se enfiar justamente em meio a roseira que tem espinhos. Pelo menos agora dormirei melhor, sem ter que escutar seu canto chato.

Cada um dá o que tem no coração...
Cada um recebe com o coração que tem...

::: PARA REFLEXÃO :::

Sherlock Holmes e Dr. Watson vão acampar...
Montam a barraca e, depois de uma boa refeição e uma garrafa de vinho, deitam- se para dormir. Algumas horas depois, Holmes acorda e cutuca seu fiel amigo:
- Meu caro Watson, olhe para cima e diga-me o que vê.
Watson responde:
- Vejo milhares e milhares de estrelas.
Holmes então pergunta:
- E o que isso significa?
Watson pondera por um minuto, depois enumera:
1) Astronomicamente, significa que há milhares e milhares de galáxias e, potencialmente, bilhões de planetas.
2) Astrologicamente, observo que Saturno está em Leão e teremos um dia de sorte.
3) Temporalmente, deduzo que são aproximadamente 03h15min pela altura em que se encontra a Estrela Polar.
4) Teologicamente, posso ver que Deus é todo poderoso e somos pequenos e insignificantes.
5) Meteorologicamente, suspeito que teremos um lindo dia amanhã.
Correto?
Holmes fica um minuto em silêncio, então responde:
- Watson, seu imbecil! Significa apenas que alguém roubou nossa barraca!!!

"A VIDA É SIMPLES. NÓS É QUE TEMOS A MANIA DE COMPLICAR..."

quinta-feira, janeiro 15, 2004

::: Faz Assim :::
Bruno Miguel

Era tão estranho , te olhar dentro dos olhos
E ver na minha frente tudo que eu sempre quis
Eu era diferente dos outros caras de 20 anos
Você era uma chance pra eu ser feliz

Eu era simplesmente mais um cara apaixonado
E pro seu coração não ia ser ninguém
Mas era exatamente quando a gente tá cansado
O coração distrai então a sorte vem

Faz assim, te dou meu telefone
Você me diz seu nome e a gente então se vê
Não faz assim, não diz que vai ligar e some
Me deixa ser seu homem
E venha ser uma mulher pra mim

quarta-feira, janeiro 14, 2004

::: TERRENO DO CORAÇÃO :::

Para entrar no terreno de um coração
é preciso ter o mapa
que nos mostre as armadilhas,
os atalhos, os abismos...

Ao pisar no terreno de um coração
é preciso ter muita calma
para não destruir as flores,
para não se perder nos amores,
nos amores por ele vividos,
nos amores por ele sonhados, idealizados...

Pois um coração é assim:
às vezes é o labirinto
do qual não conseguimos sair,
às vezes é o portal fechado
que não nos deixa entrar!

Há que se ter muito cuidado
quando alguém nos abre a porta do seu coração.
Cuidado para saber entrar,
E , se necessário, saber sair...

Sem destruir, sem derrubar.
E plantar uma bandeira,
no maior monte, escrito assim:
- Estive aqui, fiz e fui feliz!!!
::: As Coisas Tão Mais Lindas (adaptado) :::

Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só reconheci suas cores belas quando eu te perdi
Entre as coisas bem - vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela, então eu me vi
Está em cima com o céu e o luar
Hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas
E séculos, milênios que vão passar
Água- marinha põe estrelas no mar
Praias, baías, braços, cabos, mares, golfos
E penínsulas e oceanos que não vão secar
E as coisas lindas são mais lindas
Quando você não está
Hoje você não está
Onde você está
As coisas são mais lindas
Por que você não está
Onde você está
Hoje você não está
Nas coisas tão mais lindas

terça-feira, janeiro 13, 2004

::: Dias Atrás:::
CPM22

Nunca mais espero te encontrar
Por tudo que você me fez passar
Tantos dias sem entender
Esperando por você, que não vai voltar

Dias atrás pensava em você
E não era assim mais
Olho pra trás
Mas penso e sigo em frente
Pra nunca mais viver assim

Tanto faz o que vai rolar
Mas nunca espero voltar lá
Sempre tento me esconder
Para deixar de te ver
Acho que é melhor

domingo, janeiro 11, 2004

::: Como árvores :::


Qual o tamanho de um sofrimento?

Quanto tempo devemos chorar por um ente querido que morreu ou pelo amor que se perdeu?
Quantos dias devemos ficar trancados em um quarto quando alguém nos decepcionar?
Qual o tamanho da saudade que devemos armazenar por alguém que não vai voltar?
Quanto tempo devemos guardar trancado um coração que sofreu uma traição?
Qual o tamanho do ódio que devemos criar para aqueles que nos humilharam ou feriram?
É muito difícil determinar o tamanho, o tempo ou o peso de qualquer uma das perguntas acima, o certo,
é que tudo tem um tempo certo, tudo tem um limite, e cada um de nós é suficientemente "adulto" para
perceber quando estamos passando dos limites.

Assim, as pessoas que se trancam na dor e fazem dessa dor "o motivo" para não
viverem, para não lutarem e simplesmente desistirem da vida, estão indo contra um princípio natural e
divino que aponta sempre para a continuidade da vida.

Se você cortar uma árvore centenária e deixar apenas um pequeno toco, verá
depois de alguns meses a vida renascer com pequenos galhos já crescendo e desafiando a vida para
ressurgir.

Em alguns anos será novamente
uma árvore forte e cheia de vida, pronta para oferecer o que tem de melhor
para o mundo.

Por isso o sofrimento tem que ter uma medida, a nossa dor tem que ter
limite, o nosso isolamento do mundo tem que
ter um breque, porque somos como árvores frondosas que estão sujeitas á
vários cortes durante nossa vida, alguns cortes derrubarão poucas folhas, outros podem até destruir todos os galhos
que demoramos anos para juntar, mas
sempre nos restarão algumas sementes que se regarmos com paciência e amor,
em breve nos transformará de novo
em belas árvores.

Se você, no dia de hoje, é apenas um toco, lembre-se que dentro de você tem
uma semente divina que deve ser cultivada sempre, que precisa muito mais da sua atenção que de mãos
estranhas, por isso ame-se, respeite-se,
respeite a vida e o curso que ela tem, transforme-se definitivamente numa
árvore que dá frutos, que dá sombra e lembra sempre a todos que enquanto existir vida, existem possibilidades de
transformar, de renascer e de ser feliz!.

sexta-feira, janeiro 09, 2004

::: Dar :::

Dar não é fazer amor. Dar é dar. Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido. Mas dar é bom pra cacete. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca.... Te chama de nomes que eu não escreveria... Não te vira com delicadeza... Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar. Dar sem querer casar.... Sem querer apresentar pra mãe... Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo. Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral... Te amolece o gingado... Te molha o instinto.

Dar porque a vida de uma publicitária em começo de carreira é estressante e dar relaxa. Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã. Tem caras que você vai acabar dando, não tem jeito. Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.

Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para as mais desavisadas, talvez anos. Mas dar é dar demais e ficar vazia. Dar é não ganhar . É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que cê acha amor?".

Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito. Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor. Esse sim é o maior tesão. Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua. Se você for chata, suas amigas perdoam. Se você for brava, as suas amigas perdoam. Até se você for magra, as suas amigas perdoam. Experimente ser amada.

Revista Trip - novembro/2003
::: Unsent :::
Alanis Morissette

Dear Matthew I like you a lot
I realize you're in a relationship with someone right now and I respect
That I would like you to know that if you're ever single in the future and you
Want to come visit me in California
I would be open to spending time with you and finding out how old you were when
you wrote your first song
Dear Jonathan I liked you too much
I used to be attracted to boys who would lie to me
And think solely about themselves and
You were plenty self-destructive for my taste at the time
I used to say the more tragic the better
The truth is whenever I think of the early 90's your face comes up with a vengeance like it
Was yesterday
Dear Terrance I love you muchly you've been nothing but open hearted and
Emotionally available and supportive
And nurturing and consummately there for me I kept drawing you in and pushing
You away I remember
How beautiful it was to fall asleep on your couch and cry in front of you for
The first time you were the best platform from
Which to jump beyond myself what was wrong with me
Dear Marcus you rocked my world you had a charismatic way about you with the
Women and you got me seriously thinking about spirituality and you wouldn't let me get Away with kicking my own ass
But I could never really feel relaxed and looked out
For around you though and that stopped us from going any further
Than we did and it's kinda too bad because we could've had much more fun
Dear Lou we learned so much
I realize we won't be able to talk for some time
And I understand that as I do you
The long distance thing was the hardest and we did as well as we could
We were together during a very tumultuous time in our lives
I will always have your back and be curious about you
About your career your whereabouts

quinta-feira, janeiro 08, 2004

::: Uma reflexão :::
Luis Fernando Veríssimo

Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança, mas alguém aparece para nos confortar.
Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar, é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.
Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um por do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto, é a força da natureza nos chamando para a vida.
Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.
Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram,
descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez e agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrantado.
Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores importantes:

a) a relação com a família,
b) as condições econômicas nas quais se desenvolveu
(dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter),
c) os relacionamentos anteriores e as razões do rompimento,
d) seus sonhos, ideais e objetivos.

Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, esteja aberto a
algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.

Aproveite ao máximo seus momentos de felicidade, quando menos esperamos iniciam-se períodos difíceis em nossas vidas.
Preste atenção no convite que te farão, se disserem que querem fazer amor com você, pode até não ser verdade,
mas se disserem que querem apenas transar, não espere nada mais do que isso.
Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco, pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário, existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.

Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora, nem exagere em seu sofrimento, esperar é dar uma chance à vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.

A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.

A felicidade pode demorar a chegar,mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem,
como acontece com muitas pessoas que cruzam nosso caminho.
::: Amigos mais que amigos :::

Você assistiu à entrevista que Pedro Bial deu para Marilia Grabriela? Tomara que sim. Lá no finalzinho, quando foi questionado sobre relacionamentos, ele deu uma lição que serve para todo mundo: trate seu amor como você trata seu melhor amigo. Sei que isso parece falta de romantismo, mas é o conselho mais certeiro. Não era você que estava a fim de uma relação serena e plenamente satisfatória? Taí o caminho.

Vamos tentar elucidar como isso se dá na prática. Comecemos pelo exemplo que o próprio Bial deu: você foi convidado para o casamento de uma prima distante que mora onde Judas perdeu as botas, você tem que ir porque ela chamou você pra padrinho. Como é que os casais costumam combinar isso?

"Não tem como escapar, você vai comigo e pronto". Ou seja, um põe o outro no programa de índio e nem quer saber de conversa. É assim que você convidaria seu melhor amigo? Não. Você diria: "Putz, tenho uma roubada pela frente que você não imagina. Me dá uma força, vem comigo, ao menos a gente dá umas risadas...". Ficou bem mais simpático, não ficou?

Como esta, tem milhões de situações chatas que você pode aliviar, apenas moderando o tom das palavras. Pro seu marido: "Você nunca repara em mim, não deu pra notar que cortei o cabelo? Será que sou invisível?" Mas pra sua melhor amiga: "Ai, pelo visto meu cabelo ficou medonho e você está me poupando, né? Pode dizer a verdade, eu agüento".

Pra sua mulher: "Você já se deu conta da podridão que está este sofá? Não dá pra ver que está na hora de trocar o tecido?" Mas pra sua melhor amiga: "Deixa a pizza por minha conta, eu pago, assim você economiza pra lavar o sofá. A não ser que este seja um novo estilo de decoração..." Risos + risos + risos.

Manere. Trate seu amor como todas as pessoas que você adora e que não são seus parentes. Trate com o mesmo humor que você trata seu melhor amigo, sua melhor amiga. Até porque, caso você não tenha percebido, é exatamente isso que eles são.
::: Reverência ao Destino :::
Carlos Drummond de Andrade

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião . Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente
queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer
diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir. Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação. Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.
Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado. Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar. Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar. Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?" Difícil é dizer "adeus". Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados. Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado. Difícil é amar completamente só. Amar
de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se
entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca. Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras. Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber. Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade. Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo. Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida. Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica. Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho.
::: Que seja infinito enquanto dure :::

"Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata."

Carlos Drummond de Andrade
::: Carpe Diem :::

"Na incerteza do amanhã aproveite o hoje para ser feliz."

quarta-feira, janeiro 07, 2004

::: Covardia :::

"Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos".

Luís Fernando Veríssimo

terça-feira, janeiro 06, 2004

::: A Sua Paz :::

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso,
que se dedicava a ensinar zen aos jovens.
Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda
era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total
falta de escrúpulos apareceu por ali.
Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama.

O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo.
Chutou algumas pedras em sua direção,
cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.
Durante horas fez tudo para provocá-lo,
mas o velho permaneceu impassível.

No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado,
o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados, os alunos perguntaram ao mestre
como ele pudera suportar tanta indignidade.

- Se alguém chega até você com um presente,
e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos.
Quando não são aceitos, continuam pertencendo a
quem o carregava consigo.

A sua paz interior depende exclusivamente de você.
As pessoas não podem lhe tirar a calma.
Só se você permitir...
[autor???]

segunda-feira, janeiro 05, 2004

::: When Mermaid's Cry :::
Eagle Eye Cherry

She was drowned in suicide
Faithless lover cast aside
This is how she came to be
Lorelei of the sea
Hopes destroyed, she wanted to find
Certain death peace of mind
Now you wonder who is she
Lorelei of the sea
Many tales I've been told of sailors having died
After seeing a mermaid known
As Lorelei
Faithless lover that is me
And she siren of the sea
So next time that the seagulls fly
Don't you cry sweet Lorelei

Seagulls fly
When mermaids cry
Thos tears won't dry
For Lorelei

The guilt is mine I was untrue
The question is what am I to do
All I know is I got to try
Try to find sweet Lorelei
Make amends for what's been done
'Cause I believe that she's the one
And I will go where seagulls fly
Try to find sweet Lorelei

Seagulls fly
When mermaids cry
Those tears won't dry
For Lorelei

There she is I hear her cry
She's asking me if I will die
There ain't nothing I won't do
For you Lorelei
::: In The End :::
Green Day

All brawn and no brains
And all those nice things
You finally got what you want
Someone to look good with
And light your cigarette
Is this what you really want?

I figured out what you're all about
And I don't think I like what I see
Soooooo
I hope I won't be there
In the end if you come around

How long will he last before
He's a creep in the past
And you're alone once again?
Will you pop up again and be my
Special friend
'til the end and when will that be?

I figured out what you're all about
And I don't think I like what I see
Soooooo....
I hope I won't be there
In the end when you come around

I figured out what you're
All about
And I don't think I like what I see
Soooooo....
I hope I won't be there
In the end if you come around

domingo, janeiro 04, 2004

::: MUDAR :::
Clarice Lispector

Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.

Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.

Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.

Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas.

Dê os teus sapatos velhos.

Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.

Durma no outro lado da cama... depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de TV, compre outros jornais... leia outros livros,

Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade.

Durma mais tarde.

Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.

Corrija a postura.

Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.

O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
a nova vida.

Tente.

Busque novos amigos.

Tente novos amores.

Faça novas relações.

Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.

Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.

Vá passear em outros lugares.

Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos,
escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.

Troque novamente.

Mude, de novo.

Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.

Só o que está morto não muda !

Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!!!!
"Felicidade é uma viagem, não um destino"
Henfil
::: Um pouco do amor :::

"Quem é que nunca teve um Marcelo, um Felipe, um Ricardo, um Júlio ou um Alexandre na vida?
Tudo bem, pode ser uma Juliana, uma Ana, uma Patrícia ou uma Aline...
Paquerar é bom, mas chega uma hora que cansa!
Cansa na hora que você percebe que ter 10 pessoas ao mesmo tempo é o mesmo que não ter nenhuma, e ter apenas uma, é o mesmo que possuir 10 ao mesmo tempo!

A "fila" anda, a coleção de "figurinhas" cresce, a conta de telefone é sempre altíssima. Mas e ai? O que isso te acrescenta?
Nessas horas sempre surge aquela tradicional perguntinha: Por que aquela pessoa pela qual você trocaria qualquer programa por um simples filme com pipoca abraçadinho no sofá da sala não despenca logo na sua vida???
Se o tal "amor" é impontual e imprevisível que se dane!
Não adianta: as pessoas são impacientes! São e sempre hão de ser!
Tem gente que diz que não é... "Eu não sou ansioso, as coisas acontecem quando tem que acontecer."
Mentira!
Por dentro todo ser humano é igual: impaciente, sonhador, iludido... Jura de pé junto que não, mas vive sempre em busca da famosa cara metade!
Pode dar o nome que quiser: amor, alma gêmea, par perfeito, a outra metade da laranja... No fim dá tudo no mesmo. Pode soar brega, cafona... Mas é a realidade. Inclusive o assunto "amor" é sempre cafonérrimo.
Acredito que o status de cafona surgiu porque a grande maioria das pessoas nunca teve a oportunidade de viver um grande amor. Poucas pessoas experimentaram nesta vida a sensação de sonhar acordada, de dormir do lado do telefone, de ter os olhos brilhando, de desfilar com aquele sorriso de borboleta azul estampado no rosto... Não lembro se foi o "Wando" ou se foi o"Reginaldo Rossi" que disse em uma entrevista que se a Marisa Monte não tivesse optado pelo "Amor I love you" e que se o Caetano não tivesse dito "Tô me sentindo muito sozinho.." eles não venderiam mais nenhum disco. Não adianta, o público gosta e vibra com o "brega". Não adianta tapar o sol com a peneira. Por mais que você não
admita: - Você ficou triste porque o Leonardo di Caprio morreu em Titanic" e ficou feliz porque a Julia Roberts e o Richard Gere acabaram juntos em "Uma Linda Mulher";
- Existe pelo menos uma música sertaneja ou um pagodinho que te deixe com dor de cotovelo;
- Quando você está solteiro e vê um casal aos beijos e abraços no meio da rua você sente a maior inveja;
- Você já se pegou escrevendo o seu nome e o da pessoa pelo qual você esta apaixonada no espelho embaçado do banheiro, ou num pedacinho de papel;
- Você já se viu cantando o mantra "Toca telefone toca" em alguma das sextas-feiras de sua vida, ou qualquer outro dia que seja;
- Você já enfiou os pés pelas mãos alguma vez na vida e se atirou de cabeça numa "relação" sem nem perceber que você mal conhecia a outra pessoa e que com este seu jeito de agir ela te acharia um tremendo louco;
- Você, assim como nos contos de fada, sonha em escutar um dia o tal "E foram felizes para sempre"
Bem , preciso continuar? Ok, acho que não... Negue o quanto quiser, mas sei que já passou por isso, e se não passou, não sabe o quanto esta perdendo.... "O problema de resistir a uma tentação é que você pode não ter uma segunda chance" "Falo a língua dos loucos, porque não conheço a mórbida coerência dos lúcidos."

Luiz Fernando Veríssimo

sábado, janeiro 03, 2004

::: Sua Inocência :::

Não lhe culpo, amor.
Por ser assim tão óbvio
Por eu lhe poder medir as falas
Prever suas próximas palavras.
Não lhe culpo por eu saber
O passo seguinte que
Você quer dar e não dá.
O seu estancar, a meia volta.
Aquela frase que vira a reticência
Eu sei sempre o que quer dizer.
A ausência mantida
O reencontro programado
A revolta, previsí­vel, também era.
Como o corte, aquele final que nunca termina
Porque lhe dar prazer me manter cativa
Mesmo quando sequer você me quer.
Tudo para você é no momento
Tudo no seu mundo dura ou acaba, por enquanto.
Tudo é sempre me deixar aqui esperando.

Não lhe culpo amor, culpo a mim
Eu que lhe permiti ser comigo assim
E fiquei aqui, prisioneira,
Nessa cela de porta aberta, sem tranca
Sangrando uma dor que nunca se estanca
Morrendo, fugindo, chorando rios
Clamando um bocado de ignorância
Um não saber de se sofrer sobremaneira
Um apagar, um esquecer, um enlouquecer.
Mas me é sempre tudo tão evidente
Que eu não lhe culpo, amor.
Das minhas certezas você é inocente
A culpa é minha, fui eu que lhe inventei
E fui eu que me entreguei, e fui que seu amor roguei
E fui eu que me flagelei, e fui eu que lhe estudei
Fui eu, eu sei, fui eu que lhe amei sem pedir licença
Sem fazer silêncio, fui eu que alardeei a dor
Fui eu que confundi obsessão com amor.

Não lhe culpo, amor, nem ao destino
Não lhe culpo pelo desconsolo que trago comigo
Talvez seja a paz, enfim, agora
Sem mais palavras, sem mais delongas
Um corte, um fim, uma morte.
Não lhe culpo amor por não me amar
Por me dilacerar, por me ignorar
Por ser cruel, por ser mordaz
Pelos dias de pranto, pelo sono perdido
Eu não lhe culpo pelo jogo
Eu não lhe culpo nem por parte dessa dor
Nem pelo todo.
Eu não lhe culpo por estender o início
Por estimular o meio.
Eu não lhe culpo por nada, por nunca
Eu não lhe culpo nem mesmo pelas horas em que eu lhe odeio.
::: Curriculum Vitae :::

Eu já dei risada até a barriga doer, já nadei até perder o fôlego, já chorei até dormir e acordei com o rosto desfigurado.
Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela.
Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora, já passei trote por telefone, já tomei banho de chuva e acabei me viciando.
Já roubei beijo, Já fiz confissões antes de dormir num quarto escuro pro melhor amigo.
Já confundi sentimentos, Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, já me cortei fazendo a barba apressado, já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.
Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas, já subi em árvore pra roubar fruta, já caí da escada de bunda.
Conheci a morte de perto e agora anseio por viver cada dia.
Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentado no chão do banheiro, já fugi de casa pra sempre... e voltei no outro instante.
Já saí pra caminhar sem rumo, sem nada na cabeça, ouvindo estrelas.
Já corri pra não deixar alguém chorando.
Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e laranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar.
Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente por ver o sorriso de alguém especial.
J á acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade.
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol.
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:
" - Qual sua experiência?"

"Respondo, simplesmente, que vivi."

Autor desconhecido